Fuja do frio: Veja as opções de viagens em julho no Brasil

Inverno começa oficialmente no dia 21 de junho: regiões Nordeste e Norte do país são o refúgio dos que procuram altas temperaturas. Para quem deseja fugir do frio nesse inverno, separamos boas opções de viagens com muito Sol.

Se você é daqueles que dizem: “Sabe aquela paixão pelo inverno? Nunca tive!” então você está lendo o artigo certo. O inverno brasileiro começa no dia 21 de junho, baixando as temperaturas e deixando as noites mais longas. Entretanto, há uma solução: aproveite as férias e o recesso administrativo de julho para visitar os lugares quentes do país. O turismo brasileiro tem vários destinos para quem deseja fugir do frio.

Enquanto no Sul do país, os termômetros marcam temperaturas abaixo de zero, nas regiões Centro-Oeste, Norte e Nordeste, o clima fica mais ameno em relação ao verão escaldante de janeiro e fevereiro, deixando os passeios ainda mais agradáveis.

Destinos do Nordeste têm preços mais baixos no inverno

Outra vantagem, desta vez econômica, é que em muitas praias do litoral nordestino os preços caem em relação ao verão, facilitando o acesso de turistas de outras regiões do país e até do exterior. A queda está relacionada à redução na procura em comparação às férias de janeiro.

Ilhéus, na Bahia, é um exemplo dessa retração. Em média, a ocupação de um leito da rede hoteleira sai mais de 35% mais barata que nos meses mais quente, como janeiro. Ilhéus oferece aos seus visitantes belas praias e fazendas produtoras de cacau, a matéria-prima do chocolate.

Quem prefere o ‘Caribe brasileiro’, que é Maragogi, em Alagoas, tem uma economia de cerca de 45% nos preços das diárias. O município recebe os visitantes com um clima quente que é um atrativo a mais para quem deseja se deliciar nas piscinas naturais. 

Lençóis Maranhenses são um encanto à parte

 Além do bolso, quem prefere os lugares quentes devido à pura e simples sensação de calor nas férias de julho, aposta em destinos como Barreirinhas, que é porta de entrada aos Lençóis Maranhenses. Lá, os dias marcam temperaturas médias de 30º C em pleno mês de julho.

Quem visita Barreirinhas pode ainda aproveitar para passear nas praias do Caburé, Mandacaru e Atins, além de brincar de boia nas correntezas do Rio Cardosa.

Imagem, crédito: Wikipedia

Chapada dos Guimarães é um convite pra relaxar nas cachoeiras e trilhas

Se você quer variar o destino, trocando a água pela terra, a Chapada dos Guimarães, no estado de Mato Grosso, na região Centro-Oeste, é uma dica valiosa. Até que esfria nos meses de outono e inverno no período noturno, mas durante o dia a temperatura é atrativa para um passeio. O clima, aliás, é um convite pra relaxar nas cachoeiras e trilhas.

A Chapada dos Guimarães é rica em turismo natural. O destino tem nada menos que 46 sítios arqueológicos nas reservas naturais. Além disso, os 157 quilômetros de paredões de pedra engrandecem a vista dos viajantes.

Clima ameno facilita trilhas no Jalapão

Um pouco acima no mapa brasileiro, o Jalapão é outro refúgio no inverno. A região abrange oito municípios do estado do Tocantins, na região Norte do país. O destino é repleto de belezas naturais, com dunas, cachoeiras, uma vegetação que se assemelha à savana e as formações rochosas impressionantes.

Os atrativos estão concentrados nos municípios de Mateiros, Novo Acordo, Ponte Alta do Tocantins e São Félix do Tocantins. São 34 mil quilômetros quadrados de paisagem para encher os olhos de encanto.

A experiência de visitar a região do Jalapão no mês de julho torna-se ainda mais inesquecível devido ao clima. Enquanto que no verão, as tardes chegam a atingir a marca dos 35º C, desafiando até mesmo os mais resistentes, no inverno, a temperatura média é de 26ºC, sem chuvas. As noites são mais frias e, por isso, ao escolher o local como destino de julho, não se esqueça dos casacos.

Imagem, crédito: Wikipedia

Floresta amazônica sem chuva e com clima agradável

Outro destino que tem altas temperaturas, mesmo na estação mais fria no ano no Brasil, e que recompensa qualquer esforço é o estado do Amazonas. Lá os termômetros marcam de 26 a 27ºC em julho, e as chuvas já começam a cessar. O período chuvoso ocorre, principalmente, de fevereiro a maio.

Os passeios podem ser feitos de canoas, devido às cheias que encobrem a selva, ou de barcos, no famoso Rio Negro. Os mais corajosos podem até mergulhar com os botos cor-de-rosa, figura mística da região Norte.

A região é rica em biodiversidade. Pelo menos 60% da floresta amazônica está dentro do Brasil. Em solo brasileiro estão pelo menos 7 milhões de quilômetros quadrados de selva amazônica, com toda a sua riqueza em fauna e na flora.

Os turistas têm a chance de conhecer parte dessa riqueza. Ela contempla 30 mil espécies de plantas e 30 milhões de espécies animais, o que indica a existência de seres vivos ainda nem classificados pelos cientistas.

Mais histórias