Geralmente, as pessoas começam a tomar providencias para viagens ao exterior em função da proximidade das férias ou de algum tempo de folga. No entanto, muitos brasileiros se desanimam de cruzar determinadas fronteiras em função da burocracia. Mas, você sabia que pode entrar sem passaporte no Mercosul?

Passaporte no Mercosul? Descubra os documentos que brasileiros necessitam para entrar em países vizinhos

Então se você está quase desistindo de sua primeira viagem ao exterior devido aos inúmeros procedimentos com visto e outros protocolos, sobretudo, aos Estados Unidos, por que não mudar o seu destino ao invés de cancelar os seus planos?

Isso se torna muito simples quando se trata de nove países da América do Sul, ou seja, você não necessita nem contar com um passaporte no Mercosul para realizar o sonho de fazer o seu primeiro passeio internacional.

Para onde é possível viajar sem passaporte no Mercosul?

Em função de acordos diplomáticos costurados com países vizinhos, o Brasil conta com um dos “passaportes mais relevantes” do América do Sul. Nestes locais, você só precisa apresentar o seu documento de identidade, o RG.

Na América do Sul, o brasileiro só não tem a autorização para entrar sem passaporte no Suriname, nas Guianas, e nas Ilhas Britânicas. Esses locais ainda obrigam que os turistas do país apresentem passaporte de viajante para entrar.

Descubra os documentos que brasileiros necessitam para entrar em países vizinhos

Vale destacar que as Ilhas Britânicas, situadas na parte sul do continente, englobam também as Malvinas, um local que segue causando problemas entre Argentina e Inglaterra. Por isso, se o seu pacote de viagens é para lá, não deixe de levar o seu passaporte!

Cuidados para viajar pelos países do Mercosul

Desta maneira, você pode se sentir totalmente seguro para viajar sem passaporte no Mercosul para esses nove países: Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Equador, Paraguai, Peru, Venezuela e Uruguai.

No entanto, é preciso tomar alguns cuidados com relação a conservação da sua carteira de idade. Por exemplo, nem pense em fazer um passeio em uma das nações vizinhas com um documento que esteja rasgado, rasurado ou com uma foto que não seja atual.

De acordo com informações oficias do Itamaraty, é necessário que o seu documento de identidade tenha até 10 anos de emissão, só que é importante compreender mais como uma medida para que a sua foto de identificação seja recente.

Caso você tenha mudado a sua aparência consideravelmente e dificilmente é reconhecido pelo retratado no RG, é recomendado efetuar outro documento mesmo que não tenha passado uma década.

Isso acontece porque o acordo diplomático entre o Brasil e esses nove países da América do Sul não permite a utilização da carteira de motorista, título de eleitor ou qualquer outro documento em substituição a sua identidade.

Passaporte não serve para substituir a carteira de identidade?

No entanto, é preciso deixar muito claro que a falta de obrigatoriedade da apresentação do seu passaporte no Mercosul não significa que este documento não possa ser aproveitado.

Caso você tenha perdido a sua identidade ou o documento já tenha mais de dez anos de emissão, basta apresentar o seu passaporte para passar nos serviços de Imigração dos países citados. Ele não é necessário, mas pode muito bem ser utilizado para está finalidade.